[blogger]
sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

ORIGEM E EVOLUÇÃO DA LÍNGUA PORTUGUESA

I – Evolução Histórica
                Por volta do séc. V a.C. viviam uns povos denominados de Indo-Europeus, ou Arianos. Apesar de não terem escrita, sabe-se que atingiram um grau relativamente elevado de civilização.
                Espalhados por vários locais e sem comunicação entre si, foram-se aqueles povos diferenciando cada vez mais uns dos outros: nos usos e costumes, na cultura, e, por isso mesmo, na linguagem. Evoluíram em sentido divergente, enriqueceram-se de novos termos, formas e expressões, e deram origem a doze grupos principais de idiomas, tão distintos uns dos outros, que só há um século se descobriu o parentesco que existe entre alguns deles.
                Desses doze grupos, destacamos o Grupo Itálico, que depois deu origem a três línguas independentes: o sabélico, o osco-úmbrio e o latim.
                Depois do estabelecimento do Império Romano na Europa, o latim passa a ser a língua dominante, dando origem a várias outras línguas chamadas de românicas. No entanto, a Península Ibérica voltou a sofrer grandes alterações com a invasão dos Bárbaros e, posteriormente, com a invasão dos Árabes. O vocabulário português de origem árabe denuncia bem em que medida se exerceu entre nós a sua influência, introduzindo na Península novidades referentes à agricultura, indústria, ciências e artes, comércio, administração, etc. (Ex. alambique, álcool, algarismo, alqueire, azul, garrafa, xarope, etc.)
                É difícil, no entanto, precisar a época em que se começa a falar o idioma a que hoje chamamos PORTUGUÊS. Há mesmo quem pense que o português começou a formar-se desde o momento em que os Romanos se estabeleceram no nosso território. Nos fins do século XIII teve as honras de língua oficial, mas já cem anos antes era o instrumento de uma literatura brilhante e rica.


II – Evolução Fonética
                As palavras são compostas de fonemas que também estão sujeitos a transformações, pois, com o passar do tempo, as diversas gerações de falantes vão alterando a pronúncia das palavras. A essas alterações sofridas ao longo do tempo damos o nome de fenómenos fonéticos.
                É importante conhecer a “vida” das palavras e as transformações que sofreram, porque, muitas vezes, só compreendemos a forma atual de algumas delas se conhecermos a sua evolução.
                Vamos abordar, então, alguns desses fenómenos:

A. Queda de fonemas:

1

Aférese
ð
Supressão de um fonema no início da palavra.
Ex: inamorare > namorar 

2

Síncope
ð
Supressão de um fonema no meio da palavra.
Ex: malu > mau

3

Apócope
ð
Supressão de um fonema no fim da palavra.
Ex: legale > legal





B. Adição de fonemas:

1

Prótese
ð
Acrescentamento de um fonema no início da palavra.
Ex: stare > estar

2

Epêntese
ð
Acrescentamento de um fonema no meio da palavra.
Ex: stella > estrela

3

Paragoge
ð
Acrescentamento de um fonema no fim da palavra.
Ex: ante > antes

C. Permuta (troca) de fonemas:

1

Metátese
ð
Transposição de um fonema dentro de uma palavra.
Ex: semper > sempre;  pro > por

2

Hipértese
ð
Transposição de uma sílaba dentro da mesma palavra.
Ex: parabola > palavra


C. Transformação de fonemas:

1

Assimilação
ð
Um fonema influencia o outro e transforma-o.
Ex: persona > pessoa  (houve também síncope)
NOTA: Como o elemento assimilador está depois do assimilado, dá-se a assimilação regressiva. Se se verificasse o contrário, a assimilação chamar-se-ia progressiva.

2

Dissimilação
ð
De dois fonemas iguais, um deles torna-se diferente.
Ex: raru > ralo

3

Consonantização
ð
Transformação de uma vogal em consoante.
Ex: Iesus > Jesus

4

Vocalização
ð
Transformação de uma consoante em vogal.
Ex: regno > reino; octo > oito

5

Crase
ð
Fusão de duas vogais iguais.
Ex: seer > ser;  dolore > door > dor

6

Sinérese
ð
Transformação de vogais num ditongo.
Ex: lege > lee > lei

7

Nasalação
ð
Transformação de um fonema oral em nasal.
Ex: nec > ne > nem  (houve também apócope)

8

Desnasalação
ð
Desaparecimento da nasalidade de um fonema.
Ex: corona > corõa > coroa  (houve também síncope)

9

Sonorização
ð
Transformação de uma consoante surda em sonora.
Ex: fata > fada;  amicu > amigo

10

Palatalização
ð
Transformação de grupos fonéticos num som palatal.
Ex: hodie > hoje;  filium > filho;  clamare > chamar


III – Evolução Semântica
                Além da evolução fonética, grande parte das palavras sofreram também modificações de sentido, apresentando algumas um significado muito distante que tinham na sua origem. Apresentamos aqui alguns exemplos:


Vocábulos
SIGNIFICADO
Original
Actual
caderno
folha de papel dobrada em quatro.
qualquer porção de folhas de formato livre.
fogo
lar onde se acendia o lume.
o próprio lume.
mundo
limpo (do adj. mundus).
terra. (atente-se no adj. imundo).
parvo
pequeno ( de parvus).
idiota; tolo.
senhor
mais velho (de seniorem).
forma de tratamento.
solteiro
que vive só (de solitarium).
que ainda não casou.
ministro
o que serve, o que ajuda.
função política.
calamidade
cana de trigo ou outro cereal.
flagelo que provocava a perda das colheitas; qualquer desgraça.
estilo
instrumento com que se escrevia nas tabuinhas.
trabalho feito com esse instrumento; características da certas produções.
salário
importância dada aos soldados para comprarem sal.
soldo, ordenado.


ORIGEM E EVOLUÇÃO DA LÍNGUA PORTUGUESA Reviewed by vanda51 on 09:57 Rating: 5 I – Evolução Histórica                 Por volta do séc. V a.C. viviam uns povos denominados de Indo-Europeus, ou Arianos. Apesar de nã...

Sem comentários: